• Rui Gomes

5 Cuidados a ter com as Lareiras

Com a chegada do outono e do tempo mais frio, as habitações podem tornar-se um pouco mais desconfortáveis, dando azo à necessidade de colocar a lareira em funcionamento. Contudo, e especialmente após o período de verão caracterizado pela não utilização destes equipamentos, há alguns cuidados a ter na utilização de lareiras de forma a evitar fogos indesejados e outros problemas que poderiam ser facilmente evitados.


Neste contexto, a Datarigor – empresa de gestão e administração de condomínios sugere que tenham em consideração algumas regras no momento de voltar a utilizar a sua lareira.


Em primeiro lugar, é importante garantir a qualidade da lenha utilizada e certificar-se que esta não foi tratada com qualquer tipo de inseticidas para remoção de infestações, isto porque, neste caso, no momento em que a lenha arder irá libertar gases ou químicos que podem ser prejudiciais quer para os equipamentos, quer para a sua própria saúde.


Quando falamos de lareiras é natural que haja algum descuido com os materiais que colocamos para queimar, porém, não é de todo recomendável que jogue na lareira plásticos, madeiras com tinta, lixo, etc., visto que todos estes materiais são suscetíveis de originar chamas descontroladas, que irão prejudicar a lareira e a chaminé, bem como libertar gases tóxicos, aumentando o risco de incêndio.


O mesmo pode ser dito para os produtos utilizados para acender a lareira. É de extrema importância evitar a utilização de produtos derivados do petróleo, álcool ou qualquer outro combustível de grande intensidade, capaz de provocar explosões, danificar as estruturas e colocar a segurança em risco. Opte por utilizar materiais específicos para o efeito e utilize sempre que possível os devidos acessórios de proteção.


Já mencionámos no presente artigo a questão da libertação de gases prejudiciais e não podemos deixar de mencionar a importância de ter em atenção a libertação de monóxido de carbono, já que pode dar origem a consequências graves para a nossa saúde.

Por fim, há que garantir que são realizadas as devidas inspeções de forma a certificar-se que todas as estruturas se encontram devidamente funcionais. É recomendável que o faça de dois em dois anos e que proceda a uma limpeza da chaminé anualmente, de forma a evitar a acumulação de cinzas.


Já abordamos também a importância dos extintores para o condomínio e, como tal, é fundamental garantir que estes equipamentos se encontram disponíveis para atuar como meio de primeira intervenção, se necessário.


Para se manter informado sobre tudo o que necessita de saber sobre gestão de condomínios siga o nosso blog.


Para pedidos de orçamento ou propostas, clique aqui.