• Rui Gomes

Elevadores: uma mais-valia nos condomínios

Quem já viveu ou vive em condomínio sem elevador, sabe como o dia-a-dia pode ser um pouco complicado, por inúmeros motivos. Atualmente, o elevador é cada vez mais um meio de transporte essencial para quem vive em edifícios, particularmente com um elevado número de andares.


Não só nesta perspetiva de facilitação do quotidiano dos condóminos, mas também em termos do condomínio e do seu valor comercial, a existência de elevador é também um plus para qualquer pessoa que pretenda alugar ou adquirir um espaço.


As vantagens de dispor destes meios, como já mencionámos, são inúmeras mas vamos clarificá-las. Vejamos:


1. Segurança

O elevador é, hoje, um meio bastante seguro. Por vezes, ao subir ou a descer as escadas, existe sempre a possibilidade real de dar uma queda mais agravada, que pode ter consequências muito acentuadas na nossa saúde. E no caso de haver algum problema técnico no elevador, o mesmo está equipado com um alarme de emergência.


2. Mobilidade

Para pessoas em cadeiras de rodas ou com qualquer outro tipo de limitação física, a presença de um elevador no prédio pode fazer toda a diferença no dia-a-dia. E não só, para idosos também pode fazer toda a diferença, devido ao seu estado de saúde mais débil.


3. Rapidez

Subir as escadas pode demorar minutos, dependendo do andar onde vive. Com o elevador, demora segundos. Em situações de emergência, pode fazer a diferença.


4. Conforto

Sentimos verdadeiramente falta de um elevador no nosso prédio quando estamos carregados de compras do supermercado, ou com uma mala de viagem com 20kg. Com um elevador, o que é um problema diário, pode deixar de ser.


Como pode ver, a integração de elevadores no condomínio é sempre uma mais valia para o mesmo e para todos os condóminos, contudo, neste processos, a Datarigor, empresa de gestão e administração de condomínios, realça que é sempre importante analisar com uma empresa especializada todas as caraterísticas e particularidades do edifício, bem como de todos os moradores, no sentido de garantir que as necessidade mais essenciais são satisfeitas. Também apenas assim será possível obter propostas adaptadas e que vão de encontro ao que o condomínio verdadeiramente necessita.